1 de jan de 2018

Espaço Musical: Verde Ouro

Há muito tempo queria dedicar um espaço a música no blog Pé de Taioba, com objetivo de promover canções desde músicos regionais do Norte de Minas e Vale do Jequitionha, a outros de todas as partes que marcaram gerações e nossa musicalidade local.  

Em 2014 o cantor e compositor Alfeu de Oliveira compôs a canção Verde Ouro, com a letra criado pelo Professor Silvano de Araújo, ou simplesmente Di Araújo, com uma musicalidade característica do Vale do Jequitionha, recheada de poesia, história e reflexão, a canção Verde Ouro tomou forma. 
Alfeu de Oliveira
Alfeu de Oliveira, natural da cidade de Taiobeiras, também conhecido como o “Zé Ramalho de Taiobeiras”, ou Alfeu cadeirante, tem grandes referências em seu repertório, desde a o grande folião de reis de Taiobeiras, Juca Grosso, passando por grandes nomes do Vale do Jequitionha como Paulinho Pedra Azul, Rubinho do Vale, a outros grandes nomes como Elomar Figueira e Zé Ramalho, a quem muitos comparam a sua voz com a do cantor.
Fruto do Pequizeiro -
Comunidade Lagoa Grande
A canção Verde Ouro que fala do fruto que simboliza o norte mineiro e a cultura do município de Taiobeiras, traz uma reflexão cultural do Pequi, ao mesmo tempo os problemas ambientais do desmatamento do cerrado norte mineiro. A canção que foi finalista em dois concursos, o Festival de Música Autoral de Taiobeiras em 2015, e o Festival de Música do Sistema Prisional de Minas Gerais. Merece esta aqui no nosso espaço musical pela qualidade musical e por uma letra que promove uma boa reflexão do nosso cerrado norte mineiro.

Confira abaixo a Canção: 
Verde Ouro
Letra: Silvano de Araújo
Arranjo: Alfeu Oliveira

Oh meu verde ouro
Que das matas vem surgindo...
Temporão senhor

Da chapada duas medidas eu irei de levar.
Pra alegrar os olhos do meu amor.
Pra alegrar os olhos do meu amor.
  
Uma medida,
Tempero, sal há de ser.
A outra sentar e roer criançada,
Que castanha nós vamos ter

Nesta folia,
Cuidado matuto, cuidado.
Castanha pode doer.

Pequi que te quero assim.
Assim que te quero lindo.
Verde amarelo da minha terra.
Verde amarelo da minha terra.

Te arrancaram em retorcidas raízes,
Clamando por vida.
Vida sofrida em sertão.
Vida sofrida em sertão.

Destaque